A Terapia Floral De Saint Germain

29/04/2015 09:07

A Terapia Floral é reconhecida e recomendada pela Organização Mundial da Saúde como terapia complementar, não substituindo o tratamento médico, psicológico e medicamentos alopáticos ou homeopáticos. Esta é um desdobramento da Medicina Vibracional, que leva em conta não apenas o corpo físico, mas também corpos energéticos sutis associados a este corpo físico. Esta prática terapêutica considera que estes corpos interagem entre si, e que uma alteração no corpo físico é sempre precedida por um desequilíbrio em algum dos corpos denominados sutis, sendo a doença uma somatização de alguma desarmonia ocorrida em algum plano energético. A cura, então, consiste em harmonizar as vibrações destes corpos sutis, resultando, no nível do paciente, em saúde e bem-estar.

 A terapia floral é um complemento ideal para qualquer terapia que consiste na busca pelo equilíbrio das emoções do paciente, ou seja, a cura baseia-se no princípio de que a mente gera doenças. Sentimentos reprimidos há muito tempo emergirão primeiro como conflitos psíquicos e mais tarde como doença física. Nesta perspectiva, esta terapia ao melhorar aspectos do corpo físico, do psiquismo, melhora a qualidade de vida (MARGONARI, 2007).

Todas as preparações usadas nesse método de tratamento são derivadas de flores, arbustos ou árvores silvestres. Nenhuma delas causa dano ou dependência. Não são prescritas diretamente segundo o mal-estar físico, mas sim de acordo com o estado mental do paciente, seus sentimentos como medo, preocupação, raiva, desalento, entre outros (MARGONARI, 2007).

O Ministério da Saúde entende que as Práticas Integrativas e Complementares compreendem o universo de abordagens denominado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) de Medicina Tradicional e Complementar/Alternativa - MT/MCA; segundo a portaria 971 de 3 de Maio de 2006. Um grande problema observado pelos acadêmicos é uma barreira imposta por pessoas que desconhecem esta terapia impedindo assim que seja utilizada como complemento em locais de assistência a saúde: unidades básicas de saúde, hospitais, postos de saúde, entre outros.  A divulgação mais intensa sobre a Terapia Floral, e sua inclusão como uma disciplina optativa nos cursos da área de Saúde, pode ser uma das soluções ao seu desconhecimento e ao pouco aproveitamento das suas potencialidades como terapêutica preventiva e/ou coadjuvante.

 

Reportando-se ao estresse acadêmico Monteiro; Freitas e Ribeiro (2007) referem que o ambiente acadêmico, que contribuiria para o aperfeiçoamento do conhecimento construindo a base para as suas experiências de formação profissional se torna, por vezes, o desencadeador de distúrbios patológicos, os estudantes universitários passam por momentos de frustração, crescimento, temores e angústias, ocorrendo uma exacerbação do estresse acadêmico. Alguns especialistas acreditam que os anos na universidade são os mais estressantes de nossas vidas (O’Brien; Sothers apud GREENBERG, 2002).

A pessoa estressada demonstra irritação, impaciência, dificuldade de concentrar-se e de pensar de modo racional e lógico. Dessa forma, ela não se relaciona bem com as outras pessoas, fica mais agressiva e menos interessada em assuntos que não lhe afetam diretamente. Nessas condições emocionais, sua qualidade de vida deixa de atingir o nível ideal (LIPP, 2007).

Em busca de contribuir para a melhoria desse quadro, o Núcleo de Estudos e Pesquisas Homeopáticas e Fitoterápicas (NEPHF) do Centro de Ciências da Saúde (CCS) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), desde 1995, têm desenvolvido estudos e pesquisas junto às atividades de Extensão no campo das Medicinas Complementares/Alternativas, tendo realizado cursos sobre a Terapia Floral, com ênfase aos sistemas Florais que fazem uso da flora brasileira, a exemplo, dos Florais de Saint Germain.  Essa atividade tem propiciado um espaço de aprendizado para os estudantes da área de saúde, principalmente aqueles que fazem uso pessoal destas Terapias, proporcionando aos estudantes, ainda dentro da universidade, não apenas o aprendizado teórico, mas a experiência, tão importante nas Terapias de abordagem biopsicossocial.

Esse projeto foi idealizado em prol da melhoria da qualidade de vida dos estudantes através dos benefícios da utilização dos florais de Saint Germain. Para esta finalidade foi realizado um nivelamento com os estudantes selecionados, dedicado aos fundamentos da terapia, com o estudo das 80 essências florais brasileiras que constituem os Florais de Saint Germain; treinamento para o manuseio do Repertório; bem como o modo de preparação da solução de uso e as orientações para prática de atendimento ambulatorial.

No atendimento com a terapia floral, as consultas buscam identificar queixas tanto no aspecto físico e, principalmente, no aspecto emocional. No nosso projeto, elas se desenvolvem em quatro etapas: Na primeira, é preenchida uma ficha de identificação, além da anamnese, informações referentes à prática de outras terapias complementares, antecedentes gestacionais e doenças diagnosticadas. Em seguida, são apresentadas cartões de fotos das flores do sistema Saint Germain, onde diante das fotografias de todas as flores do sistema referido. A pessoa em atendimento deverá apontar as flores que mais lhe agradam, como também àquelas que muito lhes desagradam. Em terceiro lugar tomam-se as indicações das essências encontradas no livro repertório Saint Germain, levando-se em consideração os sintomas físicos e emocionais. Por último, a indicação final do(s) floral(ais) se dará em função dos dados da ficha, as escolhas pela visualização comparando com as correspondentes indicações do repertório dos Florais de Saint Germain.

 

Centro de Ciências da Saúde/Núcleo de Estudos e Pesquisas Homeopáticas e Fitoterápicas/PROBEX

Leia estudo completo com respectivas referências bibliográficas em:

www.prac.ufpb.br/anais/XIenexXIIenid/.../6CCSNEPHFPEX03.doc

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!